quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Porque te perdi, porque aprendi




Porque te perdi
Naquela noite horrenda de dor
Porque te senti
entre meus braços
Desalentada de viver
Numa enorme contrariedade interior
De quereres partir
E ao mesmo tempo não me quereres deixar
Porque sei de ti o que é realmente amar

Amor incondicional senti e sinto
Foste tu que mo ensinaste
E até hoje unicamente a mim minto
Que foi melhor assim
de tua presença abdicar
Pedindo-te que te deixasses ir sem problemas
Deixando assim de pensar
nessa altura em apenas os meus dilemas
E no que iria ser de mim depois de te perder.
Vivendo neste constante sofrer.

Na vida tudo se perde
Na vida tudo se ganha
Na vida tudo é mutante
Nada é definitivo
Por mais que se tente colocar tudo definido

Num melhor lugar sei que estás
Numa dor jamais esquecida sei que viverei
Mas também sei que por amor e pelo bem
Se fôr preciso e do que precisar abdicarei.
Senti que ao te pedir
que não receasses partir
Permiti que teu sofrimento acabasse
Egoísmo nosso do ser humano
Vermos sofrer quem mais amamos
E não quereremos que se vá
Por acharmos que sem essa pessoa tudo acabará.

Tudo não acabou
Apenas algo interior se transmotou
Aliado a novos valores existenciais
Sucedeu um crescimento interior
Que me tem ensinado a conviver com a dor.

Ó receios infundados do ser humano
Sobre a morte e tudo de mais mundano
Para quê recear algo existente
Que ninguém consegue impedir
E nos demonstra o quanto somos impotentes
Quando à porta de alguém que amamos tu bates
Fazendo tão mal nos sentir
E contudo uma esperança nos obrigas a fazer ressurgir

Esperança que além de ti
Algo de melhor exista
Esperança que quando a nós chegares
Todos os que partiram iremos reencontrar
Esperança que o sofrimento de quem parte termina
Esperança e valorização da nossa vida
Enquanto nos é permitida ser vivida.

Porque partiste assim no meio de tanto sofrer
São questões que tantas vezes não consigo esquecer
Será que Deus é tão macabro por vezes
Que nos obriga a crescer
Fazendo quem amamos tanto padecer?
E mostrando nos com esse sofrimento
Que temos de valorizar a viver cada nosso momento?
Ou será que Deus faz isso
Para que valorizemos a libertação de quem sofre
E aprendamos a conviver com a dor
De não termos presente aqueles por quem sentimos ainda amor.

Aprendi ainda mais com a tua perda Mãe
Como se já não tivesse perdido mais que o suficiente
Na minha vida anteriormente,
Que não é a morte que torna meu amor por ti mais descrente
Antes pelo contrário.. tornou o cada vez mais sublime
Sólido e mais firme
E muito mais te admiro
Por tudo que por mim fizeste
E pelo amor que sei que ainda tens e me tiveste.
Porque na vida podemos não ter quem amamos fisicamente orpesente
Mas o amor é um sentimento mais que eterno
chega a ser omnipotente

geninhacaxfal

Sem comentários: